Curaçao – mar absurdamente azul!

Curacao Mar Absurdamente Azul

Curaçao – mar absurdamente azul!

Voltei de Curaçao impressionada com a quantidade de PRAIAS MARAVILHOSAS e com a TRANSPARÊNCIA e tons de azul da água do mar! E ainda por cima, a ilha é cheia de casinhas coloridas e edifícios em estilo colonial holandês! Então imagina essa combinação: praias paradisíacas com arquitetura européia e com aquele calorzinho caribenho! Perfeito, não?!!

Ao contrário do que muitos pensam, Curaçao não tem nada a ver com Aruba, apesar das ilhas estarem bem próximas (meia hora de avião).

Apenas o passado histórico, a moeda utilizada e os idiomas falados são os mesmos. De resto, as ilhas são bem diferentes e por isso, uma viagem combinando Aruba e Curaçao é uma ótima ideia. Ah, e para quem tiver interesse, também dá para combinar Aruba e/ou Curaçao com Bonaire (ótima para mergulho), completando, assim, a letra “B” das ilhas conhecidas como “ABC” .

* As ilhas ABC (Aruba, Bonaire e Curaçao), já fizeram parte das extintas Antilhas Holandesas, antigamente formadas por dois grupos de ilhas caribenhas: as do norte (Saba, Santo Eustáquio e São Martinho ou St. Maarten) e as do sul (Aruba, Bonaire e Curaçao).

Mapa Curaçao

Curaçao é o ponto vermelho

O nome Curaçao surgiu graças aos navegadores portugueses que, no século XV, deram à ilha o nome de Curação, mas os holandeses, incapazes de pronunciar o nosso “ão“, transformaram em Curaçao (sem o acento “til”).

Curação, por sua vez, veio de Curasorbo e Curasoto, que significava “trago de bebida para cura”/”matagal de cura”, pois os navegadores que passavam meses presos nos navios chegavam na ilha doentes de escorbuto e eram “salvos” pelas frutas que comiam ali, pois repunham a vitamina C no corpo, sem saber.

Descoberta e colonizada pelos espanhóis a partir de 1499, Curaçao foi posteriormente dominada pelos holandeses no século XVII e, desde 2010 conquistou o título de território autônomo, ou seja, é um país com governo nacional próprio mas, assim como Aruba, é subordinado até hoje ao monarca do Reino dos Países Baixos em relação a alguns assuntos, como Defesa e Relações Exteriores, por exemplo.

A capital é Willemstad e a ilha está localizada muito perto do litoral venezuelano, ao lado de Bonaire e Aruba, sendo a maior das três. A população, de cerca de cento e oitenta mil pessoas, é formada majoritariamente por descendentes de índios, escravos, espanhóis e holandeses que, hoje, vivem basicamente do turismo.

Em Curaçao você vai ver uma enxurrada de holandeses. Muito mais do que em Aruba, (preferida pelos americanos). Chegam, se não me engano, 3 voos diretos de Amsterdam para Curaçao todos os dias! Ou seja, é mais fácil para os holandeses irem para Curaçao do que para nós, brasileiros, que estamos bem mais perto…

A maior “atração” de Curaçao são, sem dúvida, as praias, então nada melhor do que pegar um carro e explorá-las. Subindo a costa oeste da ilha em direção à Westpunt, você vai encontrar uma região mais isolada com as praias mais lindas, porém com menos estrutura do que aquelas onde está a maioria dos hotéis. 

Andar de carro por lá não é tão simples assim, até os bem orientados ficam confusos, então leve um GPS ou esteja com Internet contratada para que o Waze/Google Maps funcione. Nós usamos um aplicativo indicado pelo hotel, que, uma vez baixado, funciona offline, o Maps.me e deu tudo certo. Todas as praias são fáceis de estacionar e não se paga nada por isso.

Em Curaçao algumas praias são particulares. Isso significa que você terá que pagar uma taxa de admissão para “entrar”, bem como para alugar espreguiçadeiras/guarda-sol. Nessas praias particulares sempre tem um bar/restaurante com opções razoáveis de lanches simples, saladas e bebidas.

Já nas praias públicas, geralmente as mais bonitas, não há boa estrutura. Em algumas há cadeiras/guarda sol para alugar e àaaaas vezes tem uma barraquinha beeeem simples vendendo água, refri e salgadinhos de marcas desconhecidas… por isso é bom levar água e o que mais quiser consumir. Aliás, é super comum ver locais e turistas levando um “isopor” com comes e bebes , não é coisa de “farofeiro” como diriam por aqui, rs.

Quanto à comodidade nas praias públicas, se você não gosta de esticar a canga numa sombra de árvore ou num canto mais isolado, ou se estiver com crianças e precisar garantir sombra, chegue cedo para pegar uma palapa ou mesmo para alugar cadeiras/guarda sol nas praias que tiver essa opção, pois são limitadas e acabam rápido. 

Anota aí antes de ir:

Idioma   Papiamento e holandês (falam também inglês e espanhol)
Moeda   Florin (mas dólar é bem aceito na maioria dos lugares)
Religião   Maioria católica
Visto   Brasileiros não precisam
Vacina   Brasileiros não precisam
Fuso horário  UTC/GMT +1 hora
Tomada   Tipo F
Gorjeta   5 a 10%
Segurança   Furtos
papiamento, ilha Caribe, Curaçao

O papiamento é muito familiar para a gente!

Curaçao, ilha caribe

Há muitas iguanas nas praias, quem tiver medo, se prepara! Esconda a comida, se não, elas vem mesmo!

Curaçao, ilha Caribe

Placa dos carros em Curaçao, com imagem dos prédios típicos, não é uma fofura?

Em Curaçao faz um calorzinho gostoso de cerca de 30 graus o ano inteiro e a ilha está fora da zona de furacões que podem atingir alguns pontos do Caribe durante o segundo semestre. Mesmo durante a época de chuvas  (mais ou menos de outubro a janeiro), costuma chover bem pouco e depois abrir o tempo de novo. Ou seja, lá não tem tempo ruim, a melhor época para ir é simplesmente o ano todo!!

Nós fomos no fim de fevereiro/começo de março durante o feriado de Carnaval e só pegamos dias lindos! Passamos 5 noites em Curaçao e tivemos 4 dias inteiros. Claro que sempre dá para ficar mais e conhecer tudo com mais calma, mas achei que em 4 dias conseguimos ver bastante coisa e relaxar bem (no último tópico mostro o mapa e como dividimos o roteiro).

Não existem vôos diretos do Brasil para Curaçao. É possível voar pela Latam (com conexão em Bogotá), pela Avianca (com conexão em Bogotá), pela Copa Airlines (com conexão na cidade do Panamá) e pela American Airlines (com conexão em Miami – nesse caso, não esqueça o visto americano!).

A melhor maneira de andar em Curaçao, com certeza, é de carro alugado. A ilha é enorme, as praias mais bonitas estão no norte (afastadas dos hotéis) e não me lembro de ter visto ônibus circulando em quantidade. Alugamos um carro pela Rentalcars e saiu cerca de R$ 750,00 para seis diárias. O Waze funciona bem e outra opção que já falei acima é o Maps.me, (você baixa o mapa e usa offline à vontade).

Guichês de diversas locadoras de carro no desembarque do aeroporto de Curaçao. Alugamos pela rentalcars e retiramos aqui, muito prático!

Praias do Meio da Ilha
1. Cas Abou ou Cas Abao

Vou começar pela minha preferida! Cas Abou ou Cas Abao, que fica a uma distância de 30 km do centro (uns 50 minutos de carro para o norte). Para entrar, você passa por algo parecido com uma portaria de condomínio, onde se paga 5 dólares por carro, com direito a uma ducha de água doce para cada pessoa (está escrito no papel que te dão na portaria).

Por mais ou menos um dólar, você aluga uma espreguiçadeira. A praia é tranquila e tem um bar com lanches e bebidas. A cor do mar é linda, a faixa de areia tem um tamanho bom e o mar parece uma piscina aquecida. Gostamos tanto que voltamos num outro dia! Paraíso total!!

Cas Abao, Cas Abou, Curaçao

Relaxando em Cas Abao!

Cas Abao, Curaçao

Praia pequena e super tranquila!

2. Porto Marie ou Mari

Fica do ladinho de Cas Abao. Pagamos 2,50 dólares por pessoa para entrar e mais 3,50 dólares para alugar cadeiras com guarda-sol. Conta com um bar mais arrumadinho, com boas opções para comer (comi uma salada grega bem gostosa). Essa praia é boa para snorkel e tem uma empresa que faz mergulho saindo do píer para explorar o entorno.

Adorei essa Porto Marie também, mas chegamos mais para o fim da tarde, então não deu para aproveitar tanto.

Porto Marie, Curaçao

Pier de Porto Marie

Porto Marie, Curaçao

Boa estrutura: muitas cadeiras e guarda sol.

Porto Marie, Curaçao

Saladinha grega!

No caminho de volta de Porto Marie, você passa por um mangue cheio de flamingos com um acostamento para parar e observar os bichinhos! Mas não dá para chegar perto, só se você entrar na água do manguezal!

Curaçao

Tinham muuuuitos flamingos! Pena que não dá para chegar perto…

Praias do Norte 
1. Playa Kalki

Essa praia paradisíaca fica no ponto mais norte da ilha (1 hora do centro, mais ou menos). Nesse dia pegamos o carro, subimos até a Kalki e fomos descendo para ver as demais praias da costa oeste, que são as mais lindas na minha opinião! 

A Playa Kalki é pública e a cor do mar é estonteante! Para mim se compara com a mais famosa de todas, a kenepa Grandi (falarei adiante). Deu muita vontade de ficar, mas só tiramos fotos e seguimos para a Playa Grandi. O ponto negativo é que a faixa de areia é muito estreita e não tem estrutura nenhuma, tem que levar comida/bebida de qualquer jeito.

Kalki, Curaçao

A cor da água nessa praia é surreal! Maravilhoso! Queria ter ficado…

Playa Kalki, Curaçao

2. Playa Grandi

É uma vila de pescadores que o pessoal indica, pois às vezes aparecem tartarugas. Não gostei dessa praia, achei bem suja. Só olhamos e fomos embora.

Playa Grandi, Curaçao

Bem suja…

3. Playa Forti

Também é pública e tem um mirante com alguns bares bem simples (onde fica o estacionamento). Desse mirante sai uma escadaria enorme que dá acesso à praia. Também não ficamos porque tivemos preguiça de descer (na verdade de subir se descêssemos, rs) e seguimos para a próxima e mais esperada: Kenepa Grandi! Vale a parada na Forti nem que seja para olhar a vista, como fizemos.

Playa Forti, Curaçao

Vista linda do mirante

4. Kenepa Grandi ou Grote Knip

É a estrela de Curaçao! O azul do mar chega a incomodar os olhos de tãaaaao turquesa e por isso ninguém liga para a falta de estrutura, é super cheia…

Dizem que se chegar cedo ou se for de dia de semana é mais vazia. Não fui super cedo, mas fui numa segunda-feira e tinham vários ônibus e vans de tour estacionados, provavelmente dos cruzeiros que param em Curaçao.

Não sei se depende da época ou se demos azar mesmo… sei que apesar da beleza, não animamos de ficar (estava a maior gritaria e não tinha nenhum canto mais isolado),. Só tiramos fotos a partir do mirante e seguimos para a irmã menor: Kenepa Chiki!

Kenepra Grandi, Grote Knip, Curaçao

Maravilhosa, pena que é cheia…

5. kenepa Chiki ou Kleine Knip

kenepa Chiki é beeeem mais tranquila que Kenepa Grandi e tão paradisíaca quanto, afinal, é do lado, elas dividem o “mesmo mar”, rs! A água é clarinha, transparente e quentinha! Ótimo ponto para snorkel!

Achamos um canto perto das pedras, abrimos nosso super “isopor” e passamos a tarde toda bebendo e curtindo a praia. Uma delícia, amei! Gratuita, fácil de estacionar, lindíssima, porém sem bar/restaurante. Leve snacks e bebidas.

kenepa Chiki, Curaçao

Que piscinaaaaa!!

Kenepa Chik, Curaçao

Olha a transparência dessa água!

Vinho no copo de plástico… mas numa praia dessa, quem liga?

Kenepa Chiki, Curaçao

Muito sossego!

6. Playa Lagun

A praia é bem pequenininha, pouco turística (lado bom, pois não é cheia) e tem um restaurante acima das pedras, de onde tirei a foto. Sinceramente não achei nada demais e não gastaria uma manhã nem uma tarde nela, a não ser que já tivesse curtido bem todas as demais praias da ilha…

Praias do Sul 
1. Jan Thielbay

Essa praia é particular e super badalada, pois é tomada pelo famoso Beach Club Papagayo, do hotel Papagayo. É lotaaaaada de holandeses!

Achei bem “fake” e exageradamente cheia, daquele tipo que parece que você está deitado junto com o vizinho, de tão coladas que ficam as cadeiras de praia. A piscina de borda infinita que fica de frente para o mar pode ser usada pelos visitantes que pagam a taxa de admissão (achei suja e com a água turva, não entraria nem morta!).

Nós não quisemos ficar, só olhamos e fomos embora, contudo, quem procura estrutura e/ou badalação, vai gostar. À noite tem algumas opções de restaurantes e baladas (vou falar mais para frente).

Jan Thielbay, Curaçao

A piscina é aberta para não hóspedes também

2. Seeaquarium Beach – onde fica o Mambo Beach

Essa é a opção da família! Tem muita estrutura, pois são praias com vários beach clubs diferentes, o que significa restaurantes, bares, serviço de praia, vestiários e toiletes em abundância. Tem até lojinhas pé na areia. Além disso, construíram um quebra-mar e tem aqueles escorregadores gigantes feitos de boia dentro da água do mar, então é ótima para crianças.

O beach club mais famoso dali é o Mambo Beach que conta com uma piscina bem bonita (as pessoas pensam que esse é o nome da praia, mas não, a praia chama Seeaquarium Beach e é apenas o beach club que se chama Mambo!).

Eu passei o dia no beach club Cabana, que pertence ao hotel Kontiki, onde me hospedei. Achei ótimo, tem vários tipos de espreguiçadeiras e estruturas para se proteger do sol, além de um restaurante com pratos muito gostosos (o mesmo restaurante funciona à noite no Kontiki num salão de frente pro mar).

Na verdade você fica meio confuso para entender onde começa um beach club e acaba o outro, eles estão literalmente lado a lado, sem nada dividindo. E é claro que para usar essa estrutura toda tem que pagar, mas, se tiver hospedado em algum dos hotéis dali, não precisa.

Não é meu tipo preferido de praia porque tem muita gente, muita cadeira (menos que Jan Thielbay), mas para um dia só, valeu a pena. Não vou negar que serviço de praia, com muita mordomia, de vez em quando é muito bom!

Seeaquarium Beach, Curaçao

Viciada nesse drink Blue Curaçao!

Seeaquarium Beach, Curaçao

Essa pedra no meio do caminho estava pedindo uma foto!

Seeaquarium Beach, Curaçao

Nossa Palapa do hotel Kontiki que é de graça para hóspedes, mas tem que reservar com um dia de antecedência

Seeaquarium Beach, Curaçao

Praia agitada na medida certa!

Seeaquarium Beach, Curaçao

Piscina do Mambo Beach

Mambo Beach, Curaçao, ilha Caribe

Lojinhas pé na areia

Klein Curaçao

Essa é uma ilha desabitada que fica a cerca de 30 km de Curaçao e que demora mais ou menos duas horas de barco para chegar. Antes de viajar pesquisei se existiam passeios privativos para essa ilha e não existem (a não ser que você reserve um barco para umas quarenta pessoas, o que obviamente sairia caríiiiissimo), então desistimos porque temos pavor desses passeios que duram o dia inteiro e que você tem que ficar obedecendo horários junto com um monte de gente. Por mais paradisíaco que seja o lugar, não encaramos mais (estamos velhos, rs)…

Tinha a opção de ir de helicóptero também, mas estava beeeem caro e desistimos (você pode usar o helicóptero só para um trecho para “baratear”, mas mesmo assim é algo em torno de mil reais por trecho, por pessoa).

Mas se você não liga de fazer passeios longos com muita gente, não deixe de ir porque a ilha deve ser maravilhosa! Apenas confira quais são as condições do mar no dia porque já ouvi muita gente dizendo que o trecho de ida pode ser um tormento de tanto que o barco pula e quem costuma enjoar, pode passar muito mal.

klein curaçao

Foto de mermaidboattrips.com

1. Fábrica Senior & CO

Um passeio interessante é a fábrica do licor Curaçao. Sabe aquele líquido azul que aparece em alguns drinques de vez em quando? É o licor típico da ilha, que, na verdade, é produzido em várias cores, sendo a azul a mais conhecida (e a mais linda!).

O licor tem um sabor forte de laranja e sua história remonta ao ano de 1499, quando os espanhóis trouxeram mudas de laranjeiras docinhas de Valencia. No entanto, ao plantar as mudas na ilha, a fruta se tornou ácida demais devido às características do solo e não dava para comer de tão azeda. Descobriu-se então, que a casca deixada no sol produzia um óleo super cheiroso e uma família de sobrenome Senior, começou a produção do licor que depois foi muito copiado por aí. Por causa das falsificações, o verdadeiro licor começou a ser chamado de Curaçao de Curaçao.

A visita pode ser guiada ou não (se guiada é paga). Achei desnecessário fazer a guiada porque tem muitas placas contando a história e explicando a produção. No final da exposição, tem uma pequena degustação e uma lojinha (é claro!) com muito licor de várias cores e tamanhos. Tem uns kits miniatura ótimos para levar de lembrança!

Galpão onde explica toda história e produção do licor

O licor em muitas cores! Tem garrafas mini para trazer de lembrança!

Não resisto a essas fotos, rs! É do lado de fora da fábrica

2. Passear por Otrobanda e Punda

São dois bairros que exibem em suas orlas as típicas casinhas coloridas em estilo colonial holandês, ligados pela ponte Queen Emma, que é exclusiva de pedestres e se abre para navios maiores passarem de vez em quando (quando está aberta, barquinhos pequenos fazem a travessia dos pedestres gratuitamente).

À noite essa ponte fica toda iluminada e deixa o lugar ainda mais charmoso, por isso tente ver essa região de dia e de noite. Aproveite para tirar muitas fotos de Otrobanda para Punda, de Punda para Otrobanda e também de cima da ponte para ambos os lados. Seja lá qual for a sua posição é tudo muito fotogênico!!

Em Punda tem algumas ruelas cheias de lojinhas e alguns cafés fofos que lembram ruas européias. Na sua orla tem alguns restaurantes que ouvi falar mal da comida, mas a vista com certeza é boa. Já em Otrobanda tem alguns restaurantes espalhados e vários concentrados no Rif Fort, que é a próxima atração, depois das fotos abaixo.

Ponte Queen Emma toda iluminada à noite e Otrobanda visto à partir de Punda

Foto de Punda à partir de Otrobanda à noite

De cima da ponte Queen Emma com Otrobanda atrás

Letreiro que encontramos em Punda

 Ruelinha de Punda, bem cara de Europa!

3. Rif Fort

É um forte que foi construído em 1828 para proteger a entrada da baía de St. Anna na região de Otrobanda. Hoje perdeu seu propósito militar e virou um mini shopping à céu aberto, cheio de lojinhas e restaurantes. É um lugar muito gostoso para passear, comprar souvenir e, apesar de não abrigar nenhum super restaurante, vale para um almoço rápido ou até para um jantar mais simples (na parte de restaurantes, falo sobre dois que experimentamos). Ao lado fica o mall do hotel Renaissance, ideal para quem quer fazer compras.

Curaçao, Rif Fort, ilha Caribe

A entrada do forte

Curaçao, Rif Fort, ilha Caribe

Lá dentro: cheio de lojinhas e restaurantes

Os hotéis estão bem espalhados pela ilha, sendo que algumas regiões concentram boa parte deles. Essas regiões são Pietermaai, Piscadera e Jan Thiel. Piscadera está mais perto do centro (Otrobanda e Punda) e Jan Thiel é uma área bem agitada, com muita gente nas praias, tanto de dia quanto à noite (muitos holandeses bem novinhos nas baladas pé na areia).

Nós ficamos hospedados em dois hotéis, porque quando reservamos o hotel Kontiki, já não tinha mais disponibilidade para todos os dias, então nos dividimos entre o Kontiki e o Saint Tropez. Indico muito o primeiro e não indico o segundo.

Em Curaçao eu aconselho escolher o hotel que mais gostar e não levar em conta a localização, pois provavelmente você alugará um carro para ir para as praias que também estão concentradas em diferentes regiões.

1. Kontiki Beach Resort

Esse hotel, que é dos mesmos donos do Baoase, foi o nosso escolhido e acertamos em cheio! Nunca tinha ouvido falar, resolvi arriscar e amei! Fica entre Jan Thiel e Pietermaai.

Os quartos ficam espalhados em “cabanas” de dois andares com teto de palha e tudo. E o mais legal é o caminho entre eles: cheio de piscinas de pedra com água do mar, interligadas, como se fossem “riachos”, rodeados de muita vegetação, então todo quarto acaba tendo uma piscina bem ao lado! Achei super diferente e essa disposição garante uma super privacidade aos hóspedes. 

Os quartos são grandes, todos com varanda e contam com decoração rústica em madeira escura (madeira brasileira!) com elementos coloridos, para dar vivacidade ao ambiente. Todos oferecem chinelos, roupões de banho, amenities de ótima qualidade e o que mais gostei: uma bolsa de praia térmica, sendo que os itens do frigobar que você encontrar quando entrar no quarto são grátis para levar para a praia no dia seguinte.

Bem em frente ao hotel, tem dois beach clubs, o Cabana (mais simples) e o Mood (mais sofisticado). Os dois tem uma baita estrutura: muitas espreguiçadeiras de todos os tipos e tamanhos, com toalhas e serviço de bar na cadeira. Também contam com dois ótimos restaurante, que funcionam de dia na praia e à noite em salões de frente para o mar.

Kontiki Beach Resort, Curaçao

Quarto super espaçoso

Kontiki Beach Resort, Curaçao

A piscina toda de pedra com água do mar

Kontiki Beach Resort, Curaçao

Adorei essas cadeiras no meio da piscina

Kontiki Beach Resort, Curaçao

A primeira piscina, de onde se vê parte do mar

Curaçao, Kontiki, sunset

Pôr do sol da varanda do quarto

2. Saint Tropez – NÃO INDICO

Fica em Pietermaai e tem uma piscina linda de borda infinita, que chama muito a atenção pelas fotos. Mas é só a piscina que vale, o resto é “marromeno”. Os quartos são grandes e achei o hotel sujo. Encontrei cabelo por toda parte (e não eram meus, rs). A escadaria cheirava mal e não tem elevador. Os funcionários foram pouco prestativos ao pedirmos algumas informações sobre passeios e o café da manhã, à la carte, era bem simples e sem muita opção (só o croissant que era maravilhoso!).

De dia, não hóspedes podem pagar para usar a piscina, e à noite, o bar/restaurante ao lado da piscina é bem agitado, vai um pessoal super bem arrumado e ouvi falar muito bem da comida (não experimentei).

Saint Tropez, Curaçao

Quarto grande

Saint Tropez, Curaçao

A piscina e do lado direito, fica o bar/restaurante. À noite é um ambiente bem legal

Saint Tropez, Curaçao

Café da manhã vale só pela vista

3. Baoase Luxury Resort

O Baoase é o único hotel cinco estrelas da ilha e fica perto do Kontiki. A decoração, de super bom gosto, é toda inspirada na Ásia. Tem uma praia privativa, que, na verdade, é artificial e bem pequenininha. Tinha que ter alguma desvantagem, né? rs. Eu não deixaria de jeito nenhum de ir para as outras praias maravilhosas de Curaçao, mesmo estando hospedada nesse baita hotel.

Existem algumas vilas com piscina privativa e o serviço é impecável, inclusive com mordomos que, mediante reserva, preparam jantares românticos em gazebos, piqueniques na praia no pôr do sol e até pedidos de casamento com direito à fogos de artifício!

Se você não ficar hospedado lá, pode passar o dia na praia privada (50 dólares por pessoa) e tomar café da manhã e/ou almoçar, e/ou jantar no pôr do sol do restaurante (pagando à parte). Nós jantamos um dia lá (vou comentar na parte de restaurantes). Para casais em lua de mel é o hotel perfeito!

Curaçao, Baoase, sunset

Antes de sentar para jantar, demos uma voltinha no hotel, que é cheio de detalhes e de muito bom gosto

Curaçao, Baoase, sunset

Drink de boas vindas de Kiwi! Muito bom!

Baoase Curaçao, Curaçao, ilha Caribe

Um cantinho mais lindo que o outro nesse hotel!

Curaçao, Baoase, sunset

A praia do Baoase é só aquilo do lado de lá (bem pequena).

1. Baoase Luxury Resort

O restaurante do hotel é comandado por um chef holandês que prepara pratos franceses e de culinária internacional com um toque asiático. O ambiente é pé na areia e cheio de velas, e a comida é super gourmet (apresentação impecável). Escolhemos a opção de quatro pratos selecionados pelo chef (se você não come algum tipo de alimento, eles substituem). Estava tudo maravilhoso!

Quando você chega os funcionários te convidam para dar uma volta pelo hotel enquanto preparam a mesa. Vale a pena, o hotel é lindo e tem um cantinho mais fotogênico que o outro!! Reserve um dia na praia do Baoase e/ou um jantar por aqui.

Curaçao, Baoase, sunset

Jantar pé na areia.

Curaçao, Baoase, sunset

Alguns dos pratos do chef…

2. Gouverneur de Rouville

Estabelecido num casarão histórico que já foi sede da Companhia das Índias Ocidentais, esse restaurante serve pratos crioulos de frente para os típicos prédios coloridos de Curaçao (peça uma mesa de frente para a orla).

Esperávamos mais, todas as carnes que pedimos estavam com gosto de brasa. Se fosse hoje, iríamos apenas tomar um Blue Curaçao no bar, que tem algumas mesas de frente para um janelão.

Gouverneur de Rouville restaurante, Curaçao

A fachada do restaurante. Por dentro é lindo também.

Gouverneur de Rouville restaurante, Curaçao

Apenas tomar um drink é também uma opção

Todo esse terraço tem vista para os prédios coloridos de Curaçao

3. Zest Mediterranean

Esse restaurante fica em Jan Thiel, aquela área bem agitada que já comentei, e tem duas versões lado a lado: o salão principal, moderninho e sofisticado que serve pratos com ingredientes locais e toque de pratos típicos do Mediterrâneo, e a versão pé na areia, para algo mais “fast food”, como hamburger. Jantamos no salão principal e gostamos.

Além do Zest, nessa região tem um argentino chamado Tinto e uma pizzaria chamada Zanzibar que é bem rústica e fica muuuuito lotada (parece mais uma balada do que uma pizzaria).

Zest restaurante, Curaçao

Salão principal e mais à frente fica o pé na areia

Zest restaurante, Curaçao

Ali atrás já é o Zest “fast food

Olha Jan Thiel, ao lado do Zest como fica à noite! Baladinhas pé na areia dominadas pelos holandeses

4. Cabana Beach

Esse é o restaurante do Kontiki Hotel, que durante o dia serve pratos na praia também. De cozinha internacional, tem menu à la carte, mas três vezes por semana (somente no jantar), oferece menus especiais com música ao vivo (churrasco, cardápio de peixes, de costelas, etc.).

Estivemos lá num dia em que teve churrasco e o pessoal adorou (eu não como). Eles também organizam noites de cinema e de jantar dançante (não sei bem como é isso, mas me parece furada, rs).

Cabana Beach, Curaçao

Cabana Restaurant

Kontiki, Curaçao, ilha CaribeDe dia, durante o café da manhã

5. Restaurantes do Rif Fort

Acabamos conhecendo dois, são eles:

Di Zabbia

Italiano, serve massas e pizzas até que boas. Está no lugar onde era o conhecido Salt & Pepper que fechou.

Ema-Tei

Restaurante japonês típico de praça de alimentação de shopping. Comemos ali rapidinho no dia de ir embora, pois estávamos com pressa. É um quebra um galho para uma refeição rápida.

Anchor

Não experimentamos porque achei o restaurante esquisito, mas achei a vista imbatível. Deve valer a pena para uma cerveja/drink admirando o visual.

Abaixo o mapa com todos os pontos que citei nesse post e, a seguir, a divisão do nosso roteiro de 5 noites em Curaçao:

Primeiro dia: na chegada no aeroporto de Curaçao pegamos o carro que alugamos pela Rentalcars e fizemos check in no hotel Saint Tropez no fim da tarde. Nos arrumamos para jantar no restaurante Gouverneur de Rouville e depois passeamos um pouco por Otrobanda e Punda para ver a arquitetura e o Carnaval que estava rolando na cidade (tinha desfile de carros alegóricos e tudo!).

Segundo dia: acordamos e fomos para as praias de Cas Abou e Porto Marie, com parada para ver os flamingos no caminho de volta. À noite jantamos no Zest Mediterranean, em Jan Thiel.

Terceiro dia: acordamos e a ideia era curtir a praia no Papagayo Beach Club, em Jan Thiel. Chegando lá não gostamos e decidimos ir para a praia do hotel Kontiki, a Seeaquarium Beach, onde passamos o dia no Cabana Beach Club, ao lado do famoso Mambo Beach. À noite jantamos no restaurante Cabana Beach (pertence ao hotel Kontiki).

Quarto dia: mudamos de hotel e fizemos check in no Kontiki Beach Resort. Depois, foi dia de explorar as praias do norte nessa ordem: Playa Kalky, Playa Grandi, Playa Forti, Kenepa Grandi, kenepa Chiki e Playa Lagun. À noite jantamos no no Rif Fort (no italiano  Di Zabbia).

Quinto dia: gostamos tanto de Cas Abao que resolvemos passar nosso último dia inteiro por lá. Jantamos no restaurante do hotel Baoase Luxury Resort.

Sexto dia: dia de check out, mas antes curtimos mais um pouco a Seeaquarium Beach. Antes de ir para o aeroporto visitamos a fábrica do licor de Curaçao Senior & CO e demos mais uma voltinha em Otrobanda, parando no restaurante Emma-Tei que fica no Rif Fort.


  E aí, amaram Curaçao? É apaixonante! E o bom é que não fica tão longe do Brasil, dá para ir até num feriado prolongado, como no do Carnaval! Nós fomos exatamente no Carnaval com um casal de amigos e foram dias perfeitos!

Obrigada por me acompanhar por mais essa ilha!

Beijos, Thaís! 

thaisnatale

thaisnatale

Meu nome é Thaís, sou advogada e estou sempre planejando as próximas viagens. Já estive em mais de cinquenta países e resolvi criar esse blog a pedido da família e amigos que sempre me pedem dicas e ajuda com os roteiros. E, como gosto de escrever, decidi atender aos pedidos! Sejam bem vindos e espero muito que as minhas dicas e experiências ajudem! Boa leitura!!!

Aruba One Happy Island

Aruba – One Happy Island!

Varadero – post em breve!

Havana – post em breve!